Muitas cidades do Maranhão estão sofrendo com o aumento das queimadas nesta época do ano e o estado entrou em emergência por causa dos incêndios. Só em outubro, já foram registrados mais de quatro mil, segundo os dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE).

img-20161016-wa0041

As queimadas sem controle já desabrigaram, até o momento, 100 famílias em cinco cidades na região leste do Maranhão em menos de uma semana. O município de Caxias, a 360 km de São Luís, é o mais afetado e em virtude disso decretou estado de calamidade pública.  

No vilarejo Boca da Mata, situado no município de Governador Luiz Rocha, a 439 km de São Luís, o fogo queimou 40 cabeças de gado, uma criação de porcos e destruiu lavouras. O Corpo de Bombeiros do Maranhão precisou de reforços vindos de São Luís, na capital.

 

Uma brigada aérea busca água, rios e piscinas, e faz longas viagens para conter as labaredas. Além do calor, ainda venta forte nesta época do ano no Maranhão. Em São Luís, os bombeiros recebem até 25 chamadas por dia e tentam realizar no menor tempo possível as atividades para tentar impedir que o fogo atinja as áreas habitadas.

Após decretar situação de emergência, o governo do Maranhão anunciou o reforço do efetivo dos bombeiros na região Leste do estado.

Queimadas
O Maranhão é o 4º estado brasileiro com o maior número de queimadas, segundo dados do INPE. No Brasil, em 2016 foram registrados 73.946 casos de queimadas e incêndios florestais. Destes, 6.508 aconteceram no Maranhão.

Atualmente, o estado tem 159 municípios em situação de risco crítico, 19 com risco alto e cinco com risco médio de queimadas ou incêndios florestais, atingido Terras Indígenas, Biomas e Áreas Protegidas por legislação ambiental estadual e federal.

DEIXE UMA RESPOSTA