A nova diretoria da Associação dos Músicos de Balsas foi apresentada na noite desta quinta-feira, 03/05, no Clube de Casais e contou com a presença de todos os associados. A AMB conta hoje, com 50 associados dos mais de 200 profissionais espalhados pela cidade.

De acordo com o diretor reeleito, Francisvete P. Costa, o Filé do Brasil, “está faltando mais união dentro da classe e mais interesse para reforçar a Associação e sem esta união torna os profissionais mais frágeis e suscetíveis a cachês baixos e impostos pelos próprios donos dos estabelecimentos”. Para os músicos da região, o que vem acontecendo para a desvalorização dos músicos, é a concorrência entre os próprios, que em muitos casos se sujeitam ao valor ou forma de pagamento ditado pelos donos de bares e restaurantes, que atualmente só querem aceitar músicos que tocam pelo couvert artístico, ou seja, se o cliente pagar a taxa imposta no cardápio o resultado será repassado para o músico ou banda da noite.

O presidente disse que “A Associação dos Músicos é como qualquer uma outra categoria como os professores têm a associação deles, os trabalhadores rurais também têm o sindicato deles, os médicos também. Todo mundo tem. Todos os profissionais precisam disso, até para se valorizar mais, para que a comunidade possa a reconhecer melhor esses artistas profissionais.”. Filé do Brasil acrescentou que a categoria dos músicos é a única que “em vez de se valorizar, ter mais dignidade, para aumentar seu cachê, é a única categoria que fez foi diminuir.”. Lamenta o presidente e disse mais “há 10, 12 anos atrás, que era mais respeitado, o músico tinha seu valor e o cachê era ele quem fazia, hoje é o contrário.”.

Um dos precursores para a criação da Associação dos Músicos de Balsas, Josimar da Silva (Mulequinho), que disse ficar muito satisfeito cada vez que vem às reuniões. Aliás, Mulequinho nunca faltou uma. “Acho que nossa classe tem que se unir mais. Hoje, por exemplo, eles falaram também duas coisas que é muito importante: uma foi a valorização do músico. Ele deve se valorizar. E também a parte do músico saber administrar. Essas duas coisas me deixou, assim, bacana além da satisfação de ver os colegas aqui, que eu não via há muito tempo. Só isso já tá muito gratificante. Eu sou um cara que venho em todos as reuniões. Nunca faltei uma reunião porque sei que a união faz a força. Sem ela nunca se chega lá.”. Acrescentou Mulequinho.

Deusamar Santos ratificou o seu desejo de ver a união dos músicos de Balsas. Respeitado na categoria e junto ao público, o cantor e compositor reiterou a opinião dos participantes de se firmarem na valorização do profissionalismo e buscar melhorar o posicionamento da AMB, quando repetiu a frase mais ouvida no encontro: “se o pequeno não souber se administrar, ele nunca irá crescer”.

Outra questão bem ressaltada pelos associados, foi a dos shows e festas, onde as bandas de fora são requisitadas, deixando de lado as bandas locais. Para a AMB, isto só acontece, porque a Associação ainda não tem o peso que deveria ter para impor certas condições, como credenciar bandas locais junto às bandas externas nos shows ou que os pedidos de autorização que passam pela delegacia e pela prefeitura deveriam passar também pela associação, para o conhecimento e análise da diretoria.

A cantora Simone Ferreira implorou para que haja mais união na categoria e reforçou o chamamento dos demais colegas que não conhecem a associação, que compareçam às reuniões.

Paulinho Arrais disse sentir-se orgulhosa em participar de uma reunião como esta e que irá sempre às demais. Desculpou-se por estar ausente, motivo pelo qual esteve fora, durante às apresentações em programas de reality show, “como o The Voice, mas isso não me tirou a humildade, tanto que hoje estou aqui e vou continuar lutando pelo crescimento da AMB”. Paulinha disse também que hoje seu cachê é bem alto em relação aos demais colegas locais, mas é porque sempre procurou sua “valorização como profissional” mesmo antes de ser conhecida pelas apresentações em nível nacional.

Depois das formalidades de posse da nova diretoria e dos discursos de vários cantores e músicos, o presidente liberou um coquetel e o palco para que voluntariamente a música fosse tocada por quem quisesse, para finalizar o encontro com a animação e alegria que os próprios levam à população.

 

CONFIRA FOTOS DO EVENTO:

Relação da composição da nova diretoria

DEIXE UMA RESPOSTA