Pavimentação da estada do Batavo representa um divisor de águas para população de Balsas. Foto: Gilson Teixeira/Secap

Nuvens intermináveis de poeira, que simulando um denso nevoeiro, inviabilizavam a visão da paisagem povoada por centenas de milhares de pés de soja. O poeiral denso causado por veículos de passeio e enormes carretas carregadas de milho, soja e arroz, se misturava ao sol intenso da região central do Maranhão, obrigando motoristas e moradores a conviverem com as armadilhas deixadas por buracos no trecho da famosa estrada do Batavo, como é conhecido o trecho da MA-140, no município de Balsas.

Atualmente, a situação mudou. A MA-140 está sendo pavimentada pelo Governo do Maranhão.  Gradativamente, o cenário tomado pela poeira, vai sendo substituído por camada asfáltica reforçada, produzida no canteiro de obras situado ali mesmo, às margens da rodovia. A obra foi retomada após o período chuvoso, no trecho de 50 km de Balsas ao povoado Ouro.

Para os primeiros produtores que chegaram à região na década de 1960, a pavimentação da estada do Batavo é o fim de uma via crucis.

“Sou da quarta geração de produtores. Durante décadas nós nos reunimos com governo após governo, e todos prometiam a construção da estrada. Um dia cansamos e passamos a tirar dinheiro do nosso próprio bolso para pagar parte da manutenção. Eu pagava R$ 1.700 reais todo mês”, explica Antonius Phillipsen que produz soja, arroz e milho.

Os produtores pagavam a contribuição de manutenção da estrada de acordo com o hectare produzido, recolhendo em média R$ 150 mil por mês, para a contratação de motoniveladoras capazes de permitir ao menos parte do escoamento da produção.

Anel da Soja

A recuperação da MA-140 é apenas uma parte da maior obra rodoviária pública da história do Maranhão: o Anel da Soja, que interliga quatro rodovias estaduais (MA-006; MA-007; MA-132 e MA-140). Se para os produtores, a obra significa a garantia de escoamento de uma das maiores produções de grãos do país, para a população ela gera alívio, oportunidades de trabalho e renda.

“Para nós, a obra está melhorando a vida no dia-a-dia com a facilidade de trafegar e esperamos que com a movimentação maior de carga, a produção aumente e gere mais emprego e prosperidade para nossa região”, diz Gleyson Brito Ribeiro, que quase todos os dias atravessa a Rodovia 140 em um carro de passeio.

Oportunidades de um futuro melhor

Pavimentação da estada do Batavo representa um divisor de águas para população de Balsas. Foto: Gilson Teixeira/Secap
Pavimentação da estada do Batavo representa um divisor de águas para população de Balsas. Foto: Gilson Teixeira/Secap

De olho nas oportunidades geradas pela pavimentação e restauração da rodovia, o jovem Julyio Amarante, do município de Formosa da Serra Negra resolveu se mudar para Balsas há seis meses. Com o emprego de ajudante em uma granja de suinocultura, começou a cursar a graduação em Agronegócios e se vê no futuro administrando um grande empreendimento na região. “Nunca imaginei que pudesse fazer este tipo de trabalho, hoje não me vejo fazendo outra coisa. Como eu, vários jovens perceberam que as obras trarão aumento da produção e mais empregos”, diz.

O presidente da Associação de Produtores de Soja e Milho (Aprosoja), também ressaltou a relevância das obras do Anel da Soja para região. “Por muitos anos, os produtores daquela região vinham arrecadando dinheiro do próprio bolso para a manutenção da estrada. Com a restauração do Anel da Soja, todo aquele trecho que estava abandonado há muitos anos, agora vai beneficiar além dos produtores, a população que depende de escolas, saúde e que precisa se locomover,”avaliou.

Estima-se que 150 mil habitantes das principais sedes municipais da região, como Balsas, Riachão, Carolina, Tasso Fragoso e Alto Parnaíba, serão impactados diretamente pelo empreendimento, mas o ganho com o escoamento da produção de grãos e as oportunidades de trabalho e geração de renda criados em função da obra, marcarão uma conquista histórica para o Maranhão.

“O Governo do Estado tem consciência da importância dessa obra e por isso se esforça, mesmo com a crise, para criar as condições financeiras que concluam essas obras”, disse o secretário de Agricultura e Pesca, Márcio Honaiser, que trabalha em parceria com a Secretaria de Infraestrutura, para garantir recursos de recuperação da MA-006, que se estende do município de Alto Parnaíba, no extremo sul do estado, à cidade de Buriticupu, na região Oeste do Maranhão.

A extensão da MA-006 por si só, mostra a envergadura de mais uma obra cuja conclusão dá caráter histórico à sua realização.

Fonte: SECAP

DEIXE UMA RESPOSTA