Agricultores podem utilizar o defensivo para o combate às pragas em lavouras de soja e algodão

A Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) e a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) conseguiram, na Justiça, a liberação para uso, transporte, comercialização e armazenagem do benzoato de emamectina, defensivo utilizado para o combate de pragas nas lavouras de soja e algodão. Nesta sexta, 28/10, foi publicado o recurso que suspende o efeito da proibição.

“Foi um esforço das entidades para dar ao agricultor de Mato Grosso a opção de usar este produto tão importante para o combate das lagartas de difícil controle”, diz Endrigo Dalcin, presidente da Aprosoja.

O diretor técnico da entidade, Nery Ribas, explica que este é um produto extremamente eficiente e muito bem utilizado dentro do Manejo Integrado de Pragas (MIP). “É uma ferramenta dentro do que difundimos de uso de produtos com diferentes modos de ação, evitando a resistência”, afirma Ribas.

Em 2014, o Ministério Público Federal (MPF) ingressou com uma ação contra o Instituto de Defesa Agropecuária (Indea-MT) e a União para proibir a comercialização e uso do produto no Estado.

Devido ao grave ataque da lagarta Helicoverpa armigera nas últimas safras, o estado de Mato Grosso decretou emergência fitossanitária, o que deu o direito à importação do benzoato de emamectina para as safras 2014/15 e 2015/16. Houve, desde então, uma sucessão de recursos da União e da Aprosoja para conseguir derrubar a proibição.

Mesmo com a liberação, os produtores rurais precisam seguir os procedimentos para adquirir e utilizar o benzoato de emamectina, conforme orientação do Indea-MT neste link: http://bit.ly/2ePDnOg.

Fonte: Aprosoja

DEIXE UMA RESPOSTA