A provável penúltima Audiência Pública aconteceu nesta quarta-feira, à noite, no salão da loja Maçônica Acácia Balsense, na Rua Luis Gomes, palco de divergências sobre as mudanças no trânsito e teve a participação de setores da sociedade, entre eles, presidentes de associações e entidades, comerciantes e empresários, parlamentares municipais e a coordenação da Infraestrutura municipal.

Luis Pedro, Secretário de Finanças, abriu o encontro explicando as razões de mais uma sessão entre várias audiências ocorridas desde o começo da gestão atual. Para ele “esta é a gestão que não faz as coisas sem consultar a população, pois tudo que fazemos é para o bem de todos e todos devem opinar sobre o que está certo e o que pode ser melhorado”. Luis Pedro também ressaltou o motivo de acentuar a questão da rua Luis Gomes como outro tema paralelo ao das trajetórias quando retificaram a forma de circulação de veículos, feita pelo DMT. “Não vamos discutir como está o trânsito e seus efeitos na rua Luis Gomes, vamos discutir agora é o que pode ser feito para melhor, inclusive para os comerciantes”. Assinalou Luis Pedro.

Depois de uma longa esplanada sobre onde passarão os ônibus e a exposição das trajetórias em um telão, Alfredo revelou que “muitas viagens foram feitas em cidades como São Luis, Araguaína entre outras, para estudar as possibilidades de concretizar o mapa do Sistema Viário Urbano, para que no futuro não venha a causar problemas já que o centro da cidade é comprometido com muitas árvores, com ruas estreitas, curvas imprópria para ônibus. São detalhes para os quais um mínimo de descuido pode pôr em risco o trânsito de outros veículos, provocando engarrafamento ou acidentes inviáveis. Além de disso, a acessibilidade para cadeirantes e a comodidade interna do ônibus foi colocada em aberto, já que, segundo Alfredo Costa, da Infraestrutura, deverá obedecer a todas as regras propostas por lei federal.

Apresentado pelos engenheiros Alfredo Costa, da Infraestrutura municipal e Lucas Daniel, do DMT o mapa do Sistema Viário Urbano tem o aval da prefeitura para a licitação de empresa de transporte coletivo, que ponta para o começo do próximo semestre, quando a trajetória ou circuito urbano por onde os ônibus deverão circular, os pontos de parada e terminais de baldeação já estarão traçados e/ou construídos.

O problema do acúmulo de automóveis estacionados nas ruas e praças também deverá ser resolvido, segundo Alfredo Costa com talão da Zona Azul, prática em muitas cidades e estacionamentos particulares, que poderão resolver o problema, com a diminuição de carros nas margens das ruas, por muito tempo.

Rua Luis Gomes

Na Audiência Pública, o tema mais debatido acirradamente foi a inversão daquela via que vai do cemitério público até o bairro Açucena, percurso que era de mão e contramão foi modificado para uma só mão, para facilitar o tráfego e folgar mais a rua não deu certo. Com o debate ficou acertado por conta da maioria, que a inversão será retomada e os automóveis poderão circular nos dois sentidos, assim que o DMT sinalizar novamente.

O presidente da ACIB, Roberto Portela, comentou que muitos comerciantes não estão aguentando com a diminuição de clientes e que algumas lojas até já fecharam suas portas por falta de consumidores. Para ele, “da maneira que estava o trânsito, cerca de 25 mil pessoas que residem nos 10 grandes bairros como Açucena Nova e Velha Boa Esperança e Veneza I e II não passam pela Luís Gomes, para ir ao centro”, o que acarreta em menor consumo desses fregueses que passaram a comprar no centro.

O diretor do DMT – Departamento Municipal de Trânsito, Lucas Daniel, a mudança se concretizará em um prazo de 30 e 60 dias.

DEIXE UMA RESPOSTA