Festa empolga o público e ainda deixa mensagem para o planeta

O Brasil mostrou na cerimônia de abertura dos Jogos Rio-2016 que, em termos de festas, é um dos melhores do mundo. O país promoveu um verdadeiro Carnaval olímpico no Maracanã na noite de ontem. O evento tocou o coração das pessoas com momentos emocionantes, e empolgou brasileiros e estrangeiros.

A cerimônia ficou longe das extravagâncias e efeitos pirotécnicos, como foi na abertura dos Jogos de Pequim-2008, por exemplo. Em compensação, o calor humano do brasileiro, a música e o aspecto cultural falaram mais alto.

Vanderlei Cordeiro, medalhista de bronze na maratona nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, acende a pira olímpica
Vanderlei Cordeiro, medalhista de bronze na maratona nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004, acende a pira olímpica

Artistas como Jorge Ben Jor, Zeca Pagodinho e Marcelo D2 levantaram o público com músicas com a cara do Brasil. A modelo Gisele Bundchen também roubou a cena, ao desfilar no Maracanã em uma “passarela” de mais de 100 metros, como se fosse a Garota de Ipanema. E uma simulação do voo de Santos Dumont pelo Rio de Janeiro emocionou a todos.

Em paralelo a tudo isso, os criadores da cerimônia de abertura deixaram uma mensagem ao planeta. Toda a festa teve como pano de fundo o pedido para que o meio ambiente seja preservado – apesar do fracasso do Rio de Janeiro em despoluir a Baía de Guanabara para a Olimpíada.

Réplica do avião 14 Bis de Santos Dumont
Réplica do avião 14 Bis de Santos Dumont Foto: EFE

Grandes anéis olímpicos que apareceram no palco do Maracanã foram formados por arbustos. O símbolo mundial da paz exibido em um dos trechos teve como base uma árvore. E até mesmo a pira olímpica foi “afetada” com isso. Ao invés de uma chama incendiária, como em outras edições da Olimpíada, o caldeirão foi discreto. A ideia por trás disso era o pedido para a redução da queima de gases poluentes no mundo.

Gisele Bündchen desfila no Maracanã
Gisele Bündchen desfila no Maracanã

As vaias ao presidente em exercício Michel Temer representaram um dos poucos momentos hostis na abertura. A entrada das delegações de refugiados e também do Brasil foram as mais celebradas pelo público presente. E coube a Vanderlei Cordeiro de Lima a honra de acender a pira olímpica, encerrando assim o mistério da abertura.

A partir deste sábado, o planeta está no Rio de Janeiro.

– O mundo é carioca – disse Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Rio-2016.

Fonte: Terra

DEIXE UMA RESPOSTA