Com o tema “Saúde Mental na Urgência e Emergência” os profissionais da Saúde – Enfermeiros, Psicólogos, Médicos, Fisioterapeuta, auxiliares e demais colaboradores – tiveram uma manhã reservada, para ouvir e discutir os melhores meios de atendimento, aplicação de manejo e de medicamentos durante o tratamento de pessoas com problemas psicossociais.

Durante a Oficina, de iniciativa do Caps/Balsas que aconteceu nesta sexta-feira, 12/05, no auditório do 4º Batalhão da Polícia Militar, o comandante da Polícia Militar de Balsas, cel. Medeiros, juntamente com profissionais do Corpo de Bombeiros, HBU, Proerd e Samu, também se fizeram presentes e colaboraram com as discussões, na tentativa de encontrar melhores caminhos que possam facilitar as ocorrências, desde a busca de um paciente, durante as consultas e exames até a volta para sua residência.

O psiquiatra do Caps/Balsas e presidente da Associação Maranhense de Psiquiatria, dr. João Arnaud Diniz , disse que “esta Oficina teve o intuito de trabalhar a rede de atenção e atender as urgências e emergências psiquiátricas, sabendo que o fluxo desta situação é de crise, e os profissionais deparam com pacientes por vezes agitados com agressividades, portanto é fundamental a gente alinhar o discurso na fase atual, mas que estas emergências, além do Caps, tem como referência os Hospitais Gerais, UPAS e HBU, desta forma a tendência é melhorar a assistência”.

É preciso repensar o atendimento especial desde à família, que passa por um sofrimento com um processo de qualificação continuada para os profissionais da Rede, desde o Caps, atenção primária aos parceiros como Corpo de Bombeiros, Samu e PM que devem ser contemplado nesse contexto”. Ressaltou o psiquiatra dr. João Arnaud.

Para ele, a psicoeducação é o primeiro passo e explicar para a família que a contenção não é uma retenção sofrida, mas uma forma de evitar danos à própria saúde física, tanto do paciente quanto do profissional e outros em sua proximidade. Dr. João simulou uma demonstração de como conter um paciente infantil, no ato de um distúrbiosem machucá-lo.

Dr. João Arnaud Diniz é médico Psiquiatra, chefe do Serviço de Psiquiatria do HUUFMA, graduado pela Universidade Federal do Maranhão, com residência em Psiquiatria no Hospital de Saúde Mental de Messejana e título de Especialista pela Associação Brasileira de Psiquiatria/ABP. É também Psiquiatra da Infância e Adolescência.

OUÇA ÁUDIO DE ENTREVISTA COM DR. JOÃO PARA FOLHA DO CERRADO:

DEIXE UMA RESPOSTA