Mesmo notando-se menor movimentação de transeuntes pela praça da alimentação, os ambulantes de carteirinha dizem estar faturando.

Em meio à crise, com a grana curta e controle orçamentário básico, os carnavalesco não deixam de participar da grande festa brasileira tão esperada durante o resto do ano, porém tem os que aguardam esta época apenas para faturar um pouco mais e preencher o orçamento familiar, com peculiaridades de pratos rápidos e bebidas.

Meirifran é uma das muitas vendedoras de lanches, petiscos, comidas em geral e bebidas, que apostou nas 04 noites de carnaval para realçar sua conta bancária às custas do foliões. Ela mesma serve seus clientes e fala à reportagem:

Mais para o final da praça da alimentação encontramos com Ceiça, vendedora de lanches, salgados e pratos rápidos, além de bebidas. Ela e o marido trabalham animados, ao som, pouco remoto da banda carnavalesca, mas não reclama da esparsa movimentação, já que este ano, a organização não fez palco ali, como em anos anteriores onde músicas eletrônicas faziam a cabeça da moçada à parte do carnaval.

Confira vídeo:

DEIXE UMA RESPOSTA