Representantes do Conselho Comunitário pela Paz (CCP), através do programa de governo, da secretaria de Segurança, “Pacto Pela Paz”, estiveram em Balsas, nesta quarta-feira, 09/08, com a incumbência de formar o CCP de Balsas. A audiência aconteceu no auditório do 4º Batalhão de Polícia Militar para formação e ação no município. O Conselho de Balsas ficou constituído por pessoas da comunidade, de diversos segmentos, que se reúnem mensalmente para discutir e propor soluções conjuntas aos problemas relacionados a segurança e direitos sociais, a fim de promover a cultura da paz.

Após as explanações do major Ivan Góes, integrante da equipe para a formação de conselhos comunitários, ficou assim criada a equipe da CCP/Balsas, com 17 pessoas da comunidade que se apresentaram voluntariamente para formar diretoria:
– Cleverton Marlon Possani – presidente
– Janilde Dias do Val – Vice-presidente.
– Kleiton Silva dos Santos – 1º Secretário.
– Janete Maria Saraiva – 2ª Secretária.
– Marcos Xavier da Silva – Diretor de Assuntos Sociais.

Os demais conselheiros membros efetivos do CCP, são representantes da Polícia Militar, Polícia Civil, Guarda Municipal e Corpo de Bombeiros e empresários ou civis.

De acordo com o estatuto do CCP, o Conselho formado deverá atuar nas seguintes funções de:
– Atuar nas políticas sociais visando aproximação entre as instituições públicas e comunidades.
– Avaliar as ações dos órgãos públicos em benefício da comunidade.
– Encaminhar as demandas sobre segurança pública (fatores criminógenos) para os órgãos competentes.
– Desenvolver campanhas de caráter preventivo, objetivando a paz social.
– Orientar a população sobre condições e formas de segurança.
– Combater as causas que geram a criminalidade e a violência geral.

Essa mobilização é possível graças a integração da comunidade dos municípios maranhenses, juntamente com os órgãos de segurança pública. O “Pacto Pela Paz” tem disparado atividades sociais na cooperação de práticas para reduzir o índice de violências e tem reafirmado o elo de respeito e trabalho entre os policiais maranhenses e a sociedade, garantindo a lei dos direitos humanos.

Gisela Introvini acentuou que “a sociedade no todo deve participar. A Fapcen vai contribuir sim, como já vem fazendo com as comunidades dos agricultores que têm a sua parte social. Balsas precisa de mais atenção da sociedade e dos empresários para diminuir a falta de empregos e aumentar as possibilidades para os jovens que entram no mercado.”

Cel. Medeiros, comandante do 4º BPM/Balsas e criador do Pelotão Mirim, acrescentou que “é bom quando você pode contribuir para que boa parte da sociedade, como faz o 4º Batalhão com a criação do Pelotão Mirim, que hoje são 240 crianças e adolescentes participando conjuntamente da atividades. Isso acrescenta disciplina e compreensão de civismo e cidadania neles.”.

Constitui-se no projeto de lei de n° 275/15, firmado pelo governador Flávio Dino, no art. 1°, instituindo, no âmbito do Estado do Maranhão, o Pacto Pela Paz (PPP) é destinado a promover e apoiar esforços das instituições públicas, entidades da sociedade civil e cidadãos, visando á redução da violência e à difusão de uma cultura da paz, do respeito às leis e aos direitos humanos.

DEIXE UMA RESPOSTA