Durante a missa celebrada por pe. José Alberto, nesta quarta-feira, 14/02, foi dado o início da Quaresma e lançada a Campanha da Fraternidade 2018, com o tema “Fraternidade e Superação da Violência”. O documento aponta formas e tipos de violência no Brasil, dando destaque às praticadas contra os negros, os jovens e as mulheres.

De acordo com pe. José Alberto, hoje a igreja Católica de todo o mundo dá início à Quaresma. São 40 dias em preparação à Páscoa. “A Páscoa do senhor é a maior e mais importante festa da igreja dos cristãos, no sentido que se Cristo não tivesse ressuscitado não existiria o Cristianismo. Para celebrar bem e melhor esse grande mistério da morte e ressurreição do Senhor temos aí 40 dias da chamada Conversão”.

Para o pároco da Diocese de Balsas, conversão “é justamente diante de um honesto diagnóstico em que cada um dos nós vamos olhar o que precisamos melhorar na vida, como pessoa, como cidadão, como filho de Deus, como Cristão, também na família, no trabalho em todas as pastas de nossa vida. A igreja fala em Penitência. Ou seja, que o meu proposto, o compromisso que eu faço diante daquilo que eu preciso realmente mudar. Fala do jejum e da oração da caridade. O jejum é uma relação comigo mesmo, a caridade é uma relação com próximo. A oração é minha relação com Deus”.

O pároco também comentou sobre o retiro por ocasião da Quaresma. “Então, uma liturgia hoje nos propôs esse momento espiritual, de fato a missa com tom de um Retiro mas um Retiro que se abre por esses 40 dias e o número 40 é bíblico, no sentido que passados ​​quarenta dias Deus nos dê a graça da gente ter superado as maiores tentações que a gente tem na vida para que a gente possa celebrar de maneira livre”.

Sobre a Campanha da Fraternidade que traz uma temática muito pertinente na atual sociedade que é Fraternidade e Superação da Violência, pe. José Alberto foi enfático quando disse que “se você não pratica nenhum ato de violência, você já está contribuindo para uma paz. A paz é o jeito normal dos filhos e filhas de Deus viver o que é aquilo que propõe o lema: somos todos filhos de Deus. Devemos olhar para o próximo não como adversário, não como inimigo, não como uma coisa, mas como ser humano, carregado de história, de dignidade e como filho de Deus ser valorizado muito mais.”. Concluiu o padre.

DEIXE UMA RESPOSTA