Em Balsas, ontem, dia 15 de junho, com o tema “Não se cale! Ajude a combater esse crime”, profissionais do programa Conviver, em parceria com demais projetos integrantes da secretaria municipal de Desenvolvimento Social, Trabalho e Emprego, que disponibilizam aos idosos,  diversas atividades, oficinas,  atendimento psicológico,  entre outros, comemoraram o Dia Mundial de Conscientização da Violência contra a Pessoa Idosa. Data como esta é necessária para que todos saibam que eles precisam mesmo de cuidados e da devida atenção.

A coordenadora do programa Conviver, Ana Cristina Fonseca, afirmou que em Balsas “o idoso sofre muito, não só física mas psicologicamente, e com isso, em nossa secretaria há uma equipe completa e bem preparada para dar total atenção ao idoso, tanto nas questões boas, aqui no Conviver, como às ruins. Comemoramos todas as datas que envolvam eles para estimular a viverem melhor. Data como esta é necessária para que todos saibam que eles precisam mesmo de socorro. Temos uma sociedade de muita violência contra o idoso.”. Complementou Ana Cristina.

Profissionais do Creas, Cras I e II, Pastoral do Idoso, do departamento de Política para as Mulheres, da Saúde e Psicólogos estiveram presentes durante a manhã desta sexta-feira, na praça Getúlio Vargas, com pessoas fantasiadas em perna de pau, para dar ênfase ao protesto, e enquanto entregavam panfletos, o orientador social do Creas, Alexandre Pensador, falava ao público sobre os direitos do idoso e os cuidados que devemos ter para protegê-los enquanto seres frágeis.

A Coordenadora do Creas, Karine Guedes, disse que a própria família, através de outros entes que fazem as denúncias de maus tratos com os idosos até mesmo pelo judiciário, pelos departamentos disponíveis ou pelo Judiciário, pelo próprio Conviver ou pela Polícia. Agora, o governo disponibilizou mais um meio de denúncia, que é o Disque 100 Direitos Humanos. Com isso, esperando maior conscientização da família, dos vizinhos ou pessoas que presenciem atos de violência e que denuncie imediatamente. Em Balsas há um programa específico, capacitado e com equipe de profissionais especializados para atender as denúncias de violência contra a pessoa idosa. O Creas (localizado na frente do colégio Marista São Pio X), onde  também podem ser feitas as denúncias.

Karine afirmou, ainda, que um dos maiores causadores de conflitos com o idoso é a questão financeira. E ela diz que há um questionamento: “Será que é bom que o idoso seja aposentado… ou não?”. Para ela, “se ele é aposentado, brigam por causa do dinheiro, se não aposentado, não querem cuidar do idoso. Então questionamos: o que será que é bom?”. Karine completou, dizendo que é onde os orientadores entram em ação e fazem a conscientização, “pois em muitos casos é por pura ignorância das famílias, que não sabem lidar e não querem dialogar entre eles.”. “E a exploração financeira acaba sendo um grande entrave no aparo ao idoso, em casa.”. Concluiu Karine.

A data foi instituída em 2006, pela Organização das Nações Unidas (ONU) e pela Rede Internacional de Prevenção à Violência à Pessoa Idosa.

A Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa PNPSI, aprovada pela Portaria nº 2.528/GM, do Ministério da Saúde de 19 de outubro de 2006, tem dentre suas diretrizes “a promoção do envelhecimento ativo e saudável”, que visa dentre outras, realizar ações integradas de combate à violência doméstica e institucional contra a pessoa idosa.

O objetivo da data é criar uma consciência mundial, social e política da existência da violência contra a pessoa idosa, e, simultaneamente, disseminar a ideia de não aceitá-la como normal.

Segundo a Organização Mundial de Saúde: a violência contra a pessoa idosa consiste em ações ou omissões cometidas uma vez ou muitas vezes, prejudicando a integridade física e emocional da pessoa idosa, impedindo o desempenho de seu papel social.

DEIXE UMA RESPOSTA