Visitar um contrato Ater Quilombolas, que também atende mulheres, e conhecer ações de organização produtiva e econômica executadas pela Universidade Federal do Pará (UFPA) com agricultoras, são algumas das agendas da visita técnica da Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) aos estados do Maranhão e do Pará, que começou no último dia 15 e segue até 20 de maio.

Foto internet

A iniciativa faz parte da campanha #MulheresRurais, mulheres com direitos, que reúne esforços entre o Governo Federal, órgãos internacionais e a sociedade civil com o objetivo de dar visibilidade às mulheres rurais e ao trabalho fundamental que desempenham para o desenvolvimento socioeconômico e sustentável.

Solange Moreira da Costa, coordenadora de Políticas para Mulheres Rurais, Juventude, Povos e Comunidades Tradicionais da Sead, explica que o objetivo da Secretaria é acompanhar as ações executadas com recursos da instituição. “Queremos dar visibilidade a qualquer produção no campo e fortalecer o empoderamento das mulheres rurais, ressaltando a importância do papel delas no cenário econômico e para o desenvolvimento sustentável do país”, afirma.

A visita ao município de Abaetetuba, no Pará, onde vigora o contrato de Ater Quilombolas e acontecem as ações da UFPA será nos dias 19 e 20 de maio. Antes, a Sead visita os municípios de Pedreiras, São Luiz Gonzaga do Maranhão, Esperantinópolis, Bacabal e Lago Junco, no Maranhão.

Sobre a campanha #MulheresRurais, mulheres com direitos

A campanha internacional #MujeresRurales, mujeres con derechos é uma iniciativa organizada pela Reunião Especializada em Agricultura Familiar no Mercosul (Reaf), a Unidad para el Cambio Rural (UCAR) da Argentina, a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e, no Brasil, pela Sead, sob a tradução #MulheresRurais, mulheres com direitos. A inciativa abrange a América Latina e o Caribe trazendo como temática os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) estabelecidos pela ONU.

DEIXE UMA RESPOSTA