Na noite desta quinta-feira, 19 de outubro, Urano pode ser visto a partir da Terra a olho nu, sem auxílio de lunetas ou telescópios – ainda que o uso destes equipamentos melhorem bastante sua observação. Isso ocorre porque o planeta está em uma posição rara em relação a nós e ao Sol que permite que o brilho da estrela reflita e chegue até aqui – a última vez que isso aconteceu foi 50 anos atrás.

Você poderá encontrar Urano no céu ao observar a constelação de Peixes: ele será um brilho de intensidade moderada em tom azul-esverdeado entre as estrelas da constelação e ficará exposto a noite toda.

“Urano atinge a oposição [ao Sol] em 19 de outubro. É visível toda a noite e a cor azul-esverdeada é inconfundível. Pode ser suficientemente brilhante para ver a olho nu – e com certeza em binóculos”, disse Jane Houston Jones, astrônoma da Nasa em comunicado.

A aparência da constelação de Peixes é como mostra a imagem abaixo. Procure pelo brilho de cor diferente.

Conheça Urano

Urano é o sétimo planeta do Sistema Solar em relação à distância do Sol e o terceiro no que diz respeito ao tamanho – é menor somente que Júpiter e Saturno. Ele e Netuno são os planetas chamados “gigantes de gelo”: acredita-se que tenham núcleo rochoso, cercado por uma camada de água líquida e envolto em uma membrana de hidrogênio e hélio congelado.

Foi considerado uma estrela por muito tempo, até que em 1781 o astrônomo britânico William Herschel confirmou que era um planeta. Ele foi o primeiro a ser identificado por meio de um telescópio e o único que foi batizado com o nome de um deus grego – todos os demais homenageiam deuses romanos.

Ele demora 84 anos para dar uma volta completa em torno do Sol e tem sistema próprio, que envolve 13 anéis e pelo menos 27 luas.

1 Comentário

DEIXE UMA RESPOSTA