Decisão do Ministério do Meio Ambiente cria incertezas dentro do setor agropecuário, dizem entidades

dsc_2007

A decisão do Ministério do Meio Ambiente de exigir licença ambiental a cada ano safra não agradou o setor. Entre as reclamações, estão o aumento na burocracia para o produtor se regularizar, o custo de cumprir mais essa obrigação e, também, a falta de clareza na medida.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Goiás (Aprosoja-GO), Bartolomeu Braz, criticou a decisão do ministro Sarney Filho, chamando-a de ideológica. Ele acredita que o presidente interino Michel Temer pode reverter essa decisão.

“Isso é a ideologia criando burocracias para atrapalhar o processo produtivo. Não precisamos mais desse tipo de atitude. O produtor já está cheio de obrigações. Isso não é viável”, afirmou.

Para o diretor-executivo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Wellington Andrade, a medida vai aumentar a burocracia e os custos do produtor rural. O dirigente pede também mais clareza na legislação, que não mostra como esta obrigatoriedade vai funcionar.

“Isso cria mais burocracia dentro da legislação ambiental complicada. O texto não traz clareza sobre como isso deve ser feito. Precisamos de regras mais claras e objetivas. Sem falar no tempo da análise do processo que pode levar. A safra não pode esperar”, disse Andrade.

FONTE: Rikardy Tooge | Canal Rural

DEIXE UMA RESPOSTA