Milhares de pessoas saíram às ruas e avenidas nesta sexta-feira, 28/04, contra as reformas da previdência, trabalhista e terceirização. Formada por sindicatos, militantes de partidos políticos de esquerda, Igreja Católica e sociedade, a manifestação pacifica contra as reformas já aprovadas na Câmara dos Deputados Federais. Funcionários dos correios em greve, também se uniram aos manifestantes.

O sindicalista e vice presidente do Simdsepm Joenesson de Sousa Santana, fala das razões desta passeata de hoje:

Durante o percurso, nas paradas eram enfatizados discursos de lideranças dos sindicatos, representantes da câmara de vereadores e Igreja Católica, cujo foco era:
– Protesto contra o aumento da idade mínima para aposentadoria;
– Aumento do tempo de contribuição;
– 49 anos de contribuição para ter o benefício integral;
– Fim das aposentadorias especiais;
– Férias parceladas e jornadas ameaçadas;
– Trabalho temporário;
– Terceirização e outros.

Para os sindicatos, o impossível pode ter chegado com a fim da obrigatoriedade da taxa anual cobrada diretamente na folha do empregado para o próprio Sindicato, mesmo que o trabalhador não seja associado.

DEIXE UMA RESPOSTA