O diagnóstico e tratamento de pacientes renais foi debatido, nesta quinta-feira, 13, em audiência pública, no auditório do Sebrae, em Balsas. Na ocasião, o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, anunciou a implantação do Centro de Hemodiálise no Hospital Regional de Balsas.

A iniciativa da audiência foi da Secretaria Estadual da Saúde em conjunto com a Prefeitura e Câmara de Vereadores de Balsas. A mesa dos trabalhos foi composta pelo secretário municipal de saúde, dr. Luís Flávio; o vereador Moisés Coelho, presidente da Câmara Municipal; Eliabe Aguiar o diretor do Hospital Regional de Balsas; a gestora da Unidade Regional de Saúde de Balsas, Eryna Souza.

De acordo com o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, a rede de tratamento nefrológica será implantada em Balsas. “A dor que vocês sentem, eu sinto. Por isso é que a gente vai abrir o serviço de Hemodiálise aqui no Hospital de Balsas, a partir de janeiro de 2019”. Ele disse ainda,  que Imperatriz já superou a cota, mesmo porque já atende a região tocantina e “temos um vazio especial, começando por Balsas e o município de Colinas”. Para Lula, o Centro de Hemodiálise em Balsas “terá capacidade para atender uma média de 100 pessoas, na unidade”.

Atualmente, o Governo do Estado garante a assistência integral e gratuita de pacientes renais crônicos através do Sistema Único de Saúde (SUS), com 458 máquinas para o serviço de hemodiálise no estado.

Para o prefeito de Balsas, “só temos a ganhar com esse investimento na nossa cidade. Vamos ceder o terreno, oferecer todo o suporte para que o governo possa fazer isso pela saúde da nossa população”, afirmou o prefeito dr. Erick Silva.

Mais de 100 pessoas, entre pacientes ou responsáveis por eles, além de profissionais da saúde, lotaram o auditório do Sebrae, na esperança de que o sofrimento com as viagens chegue ao fim, como declarou Maria Aparecida, esposa de Pietro Cigarini, “não é fácil enfrentar a distância fora de sua cidade, porém são 03 viagens por semana. Além disso, a hemodiálise deixa a pessoa bastante abatida quando acaba a sessão”. Aparecida diz que “as condições de quem tem que ir e voltar para Imperatriz acaba provocando mortalidade, pela distância ou pela própria situação do deslocamento, no mesmo dia. Deixa a pessoa muito abatida. Portanto, para nossa região, é de fundamental importância um Centro de Hemodiálise, o que ajudará em muito.”.

De acordo com Eliabe, por ser um serviço de alta complexidade, o município já cedeu o terreno para a construção do prédio, mas que será fomentado pela secretaria de Estado da Saúde e o Ministério da Saúde.

Jacirene Coelho veio de Nova Colinas para ouvir a confirmação do secretário Carlos Lula da instalação do Centro de Hemodiálise, em Balsas, que para ela aliviará muito as despesas com seu pai, o sr. Domingos da Silva Rego, agricultor, “além da distância que torna cansativo para ambos. Com esta boa notícia nos traz esperança de dias melhores. Sem contar que nosso gasto é altíssimo, pois além do paciente tem o acompanhante.”.

Para Alessandra de Abreu, 46 anos, moradora de Balsas, a abertura do serviço de hemodiálise no Hospital Regional de Balsas facilitar o tratamento dos pacientes. “Participar dessa audiência e ver que o governo está preocupado com a gente é muito importante. Estou muito feliz com o anúncio de hemodiálise aqui em Balsas”, disse a paciente renal que realiza tratamento em Imperatriz.

O presidente da Câmara Municipal de Vereadores disse que, “sem dúvida nenhuma foi uma caminhada longa para começar a realização desse sonho. Vai ser em janeiro, quando todos esses fatos quando tudo estiver funcionando e esses pacientes tiveram que retornar para nossa cidade. Muitos deles tem que morar em Imperatriz, tem que morar em Teresina, para realização do tratamento e com fé em Deus, Balsas terá o tão sonhado Centro de Hemodiálise funcionando”.

 

DEIXE UMA RESPOSTA