O jornalista e blogueiro, Francisco de Assis, 27, depois de percorre vários quilômetros em seu carro adesivado, pedindo apoio aos seus seguidores se apresentou hoje, 01/10, no programa matutino da TV Globo, Encontro com Fátima Bernardes, onde pode relatar seu encontro com o vírus. Além da apresentadora, participaram, ao vivo, com o ator Caco Ciocler, a cantora Lucy Alves, Jairo Bouer, a atriz Danielle Winits e o Jairo Bouer é um médico, educador, palestrante.

Fátima começou sem muito saber por onde começar o assunto, mas depois de ensaiar perguntou: “Francisco, como foi o susto que você levou ao saber disso? ao que Francisco, já acostumado a falar da Aids, disse: “É um desespero. Eu digo que é uma sentença de morte”.

O jovem jornalista afirmou que por mais que tivesse feito matérias a respeito de HIV sempre teve o jargão popular imaginativo “comigo não”, querendo dizer que com ele nunca aconteceria. “E a primeira coisa que eu fiz foi pensar na morte. Eu disse, acabou. Não vai dar mais certo”.

Diante de uma sentença como esta – no Brasil existem 830 mil pessoas com HIV – Francisco, depois que aceitou a hospedagem do vírus, caiu a ficha ou pois os pés no chão, resolveu passar para a população jovem, através do Instagram ou Facebook, que a melhor maneira é evitar, mas caso venha acontecer, o segundo passo é aceitar ‘de boa’. Para ele, o seu momento de luta foi rápido. “Eu digo que não durou nem 24 horas. Eu acordei e disse o seguinte: eu não tenho como tirar esse vírus do meu corpo. É algo que eu fui irresponsável em aceitar fazer o sexo sem proteção e é uma responsabilidade minha. Eu preciso não só fazer algo como ajudar as pessoas, levando informações”.

De acordo com Francisco, ele percebeu que aquele meu momento de desespero tinha sido mais por uma questão de falta de informação. Ele disse que “nem eu sabia o que que o vírus poderia causar no meu corpo e eu não pensava na morte. Me tranquei durante cinco dias dentro de casa e disse: eu preciso saber, ter conhecimento”. Daí em diante, Francisco disse que iniciou suas pesquisas, desde o que o Ministério da Saúde falava, a vídeos, a amigos que conviviam com vírus. Só através da busca de conhecimento que disse ter se tranquilizado. Foi aí que o jovem pensou em fazer algo em prol de outros jovens que ainda não foram contaminados com o vírus.

Para desviar a atenção de seus pais, e deixá-los mais tranquilos, Francisco pediu as contas do emprego que tinha em uma instituição não governamental e resolveu montar um restaurante classe ‘A’, em sua própria casa, o que daria ocupação aos familiares, enquanto ele resolveria sua vida sozinho.

Comprou um carro, adesivou, para rodar estradas adentro, mas antes disso percorreu os colégios de Balsas, afim de ganhar experiência e coragem como palestrante para, só depois ganhar estradas, país afora.

O digital influencer também revelou que gostaria de participar do programa do Luciano Hulk, “Lata Velha”, para poder trocar seu automóvel por um mais novo. Depois Francisco apelou para um caminhão, onde possa carregar uma equipe médica e equipamentos para consultar e diagnosticar pessoas com HIV.

 

DEIXE UMA RESPOSTA