Tanto o DMT – Departamento Municipal de Trânsito, na direção do Pastor Israel Carvalho Araújo como a Guarda Municipal e o Detran contribuíram para o bom desempenho da campanha de trânsito e para a baixa no índice de acidente, pelo menos durante o mês de maio, em Balsas.

Maio Amarelo é uma campanha nacional e cada município usa sua criatividade para espelhar aos pilotos e motoristas que a vida sem acidentes ou aborrecimentos é muito mais tranquila. Em Balsas, um carro velho, acidentado cedido pela PRF, serviu de exemplo do que acontece diariamente com os motoristas balsenses e, enfim, no Brasil todo.

O diretor do DMT, Pastor Israel Carvalho admitiu que sua avaliação para o mês de maio no DMT de Balsas é positiva.

Juntamente com os colegas, profissionais que trabalham no trânsito, o pastor apresentou vídeos educativo, com pessoas relatando casos verídicos de acidentes fatais com pessoas de Balsas. Para ele, o tema “minha escolha me faz bem”,  leva os motoristas e pilotos a escolherem sempre o melhor caminho em um veículo. O DMT levou a campanha às escolas municipais.

A Sessão Solene de aplausos à ação ao Departamento Municipal de Trânsito foi uma indicação do vereador Professor Niltinho, que viu ali a importância em homenagear um departamento, que mesmo tendo a obrigação de trabalhar na diminuição de acidentes e educação dos motoristas, merecem os aplausos da Câmara em nome da sociedade, conforme acentuou o vereador.

Acompanhando o sucesso de outros movimentos, como o “Outubro Rosa” e o “Novembro Azul”, os quais, respectivamente, tratam dos temas câncer de mama e próstata, o “MAIO AMARELO” estimula você a promover atividades voltadas à conscientização, ao amplo debate das responsabilidades e à avaliação de riscos sobre o comportamento de cada cidadão, dentro de seus deslocamentos diários no trânsito.

Acidentes de trânsito no MA

Pesquisas informam que o número de acidentes de trânsito caiu 40% entre 2014 e 2016 no Maranhão, refletindo o reforço na fiscalização e nas campanhas de educação. O total de acidentes caiu de 16,5 mil para 10 mil.

Esse movimento acompanha o aumento de 1.800% nas Operações da Lei Seca entre 2014 e 2016. Se, naquele ano, foram apenas oito operações, esse volume subiu para 151.

Levando em consideração o número de acidentes com mortos, houve a preservação de 188 vidas em 2015 e 2016.

O número é divulgado no contexto da campanha nacional Maio Amarelo, que busca alertar sobre reeducação no trânsito.

Maio Amarelo – Brasil está entre os 10 países recordistas em mortes no trânsito

São três mil vidas perdidas por dia nas estradas e ruas ou a nona maior causa de mortes no mundo. Os acidentes de trânsito são o primeiro responsável por mortes na faixa de 15 a 29 anos de idade; o segundo, na faixa de 5 a 14 anos; e o terceiro, na faixa de 30 a 44 anos. Atualmente, esses acidentes já representam um custo de US$ 518 bilhões por ano ou um percentual entre 1% e 3% do PIB (Produto Interno Bruto) de cada país.

Se nada for feito, a Organização Mundial de Saúde  (OMS) estima que 1,9 milhão de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 (passando para a quinta maior causa de mortalidade) e 2,4 milhões, em 2030. Nesse período, entre 20 milhões e 50 milhões de pessoas sobreviverão aos acidentes a cada ano com traumatismos e ferimentos. A intenção da ONU com a “Década de Ação para a Segurança no Trânsito” é poupar, por meio de planos nacionais, regionais e mundial, cinco milhões de vidas até 2020.

O Brasil aparece em quinto lugar entre os países recordistas em mortes no trânsito, precedido por Índia, China, EUA e Rússia e seguido por Irã, México, Indonésia, África do Sul e Egito. Juntas, essas dez nações são responsáveis por 62% das mortes por acidente no trânsito.

DEIXE UMA RESPOSTA