Banco da Amazônia disponibiliza recursos para a economia do Estado e assinará protocolo com Governo estadual firmando compromisso para desenvolver o Maranhão.

Com objetivo de estimular o desenvolvimento de projetos sustentáveis para o Maranhão, o Banco da Amazônia e o Governo do Estado vão assinar no próximo dia 12 de março, um Protocolo de Intenções para impulsionar os negócios sustentáveis dos doze municípios onde há agências e suas jurisdições nas regiões. A cerimônia de assinatura será realizada no Palácio dos Leões. De acordo com o presidente do Banco, Valdecir Tose, os recursos que o Banco da Amazônia pretende aplicar no Maranhão em 2019 somam R$ 372,7 milhões. “O Banco vai fomentar todos os setores da economia e fortalecer empresas de todos os portes da região. Assim, vamos promover a melhoria de qualidade de vida, geração de renda e desenvolvimento sustentável”, informou.

Segundo a superintendente regional do Banco, Patrícia Barbiero, os principais demandantes dos recursos são agropecuaristas, principalmente, dos setores de pecuária de corte e agricultura. “Mas há uma gama de Arranjos Produtivos Locais que demandam recursos como agricultura, apicultura, avicultura, piscicultura, pecuária, indústria e comércio”, comentou.

Parceria impulsiona negócios sustentáveis

O protocolo entre o Banco e o Governo tem por objetivo mobilizar e integrar as classes produtoras e demais parceiros institucionais para a aplicação dos recursos de fomento disponíveis, em apoio ao desenvolvimento dos setores produtivos do Maranhão, em bases mais sustentáveis. O trabalho conjunto prevê, ainda, contribuir com a estruturação e o fortalecimento dos aglomerados econômicos, arranjos produtivos locais e as cadeias produtivas do Estado e criar iniciativas que reduzam as desigualdades locais.

A parceria também objetiva a promoção da cultura do empreendedorismo consciente, estimulando e apoiando a adoção de melhores práticas produtivas sustentáveis, por meio de negócios que gerem a distribuição de renda, criem oportunidades de ocupação de mão de obra e de emprego e promovam a inclusão social. Para cumprir com esses objetivos, caberá ao Banco atuar alinhado com as prioridades setoriais e espaciais definidas pelas políticas dos Governos Federal e Estadual; divulgar amplamente os programas de financiamentos, as normas e procedimentos operacionais, visando facilitar a habilitação dos beneficiários ao crédito; induzir e apoiar o fortalecimento do associativismo/cooperativismo de produção do meio rural, agroindustrial e industrial; assegurar recursos financeiros para financiar investimento, custeio e capital de giro, em consonância com os normativos vigentes; e construir parcerias como forma de somar esforços a serviço do desenvolvimento local. Já ao Governo do Estado, caberá potencializar o agronegócio, promovendo a inserção da produção familiar nos mercados, bem como os setores industriais e de serviços, a partir da expansão de atividades de maior demanda de mão de obra, intensificando a geração de emprego e renda. E, ainda, assegurar e disponibilizar os serviços de assistência técnica e extensão rural do Estado e garantir recursos financeiros para melhorar e expandir a infraestrutura econômica básica em áreas prioritárias.

Investimentos do Banco da Amazônia no Maranhão chegam a R$ 964,5 milhões
nos últimos 5 anos

Nos últimos cinco anos, o Banco aplicou no Maranhão R$ 964,5 milhões em crédito de fomento, o que torna a Instituição responsável por mais de 20,46% do crédito de fomento aplicado nessa região e conta com 12 agências de atendimento.

Nessa região, o Banco tem o saldo da carteira de crédito de R$ 764 milhões com recursos de fomento nos últimos 5 anos. O valor das contratações de fomento em 2018
somam R$ 178,3 milhões.

 

 

Por Bruna Lorrana

DEIXE UMA RESPOSTA