Apesar de o tema vir sendo debatido há quase dez anos, a instalação da Segunda Esquadra da Marinha, que tem o Maranhão como um dos estados candidatos a recebê-la, ainda não tem projeto. A revelação é do deputado federal Pedro Fernandes (PTB), que está subscrevendo uma emenda ao Orçamento da União para que o estudo seja realizado e o local da instalação possa ser definido.

De acordo com Pedro Fernandes, que sexta-feira, 18/11 prestigiou a posse da nova diretoria da Sociedade dos Amigos da Marinha (Somar Brasil), recentemente ele esteve acompanhado de outros parlamentares no Comando da Marinha, em Brasília/DF, a fim de conhecer o projeto e foi revelado que ele ainda não existe, ou seja, há apenas a concepção do que deve ser feito, demanda de equipamentos e homens, estimativas do valor do investimento etc, mas falta um projeto técnico.

Por conta disse, Fernandes e o deputado José Reinaldo Tavares concordaram em apresentar, com apoio de outros parlamentares, uma emenda orçamentária para que a União destine recursos para esses estudos. A expectativa do parlamentar é que a partir deste projeto de engenharia, a definição seja aceerada e o Maranhão possa ser beneficiado pelo empreendimento.

Neste sábado, o assunto voltou a ser debatido pelo Governo do Estado com a visita do comandante da Marinha do Brasil, Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, ao governador Flávio Dino, no Palácio dos Leões. A instalação da esquadra no estado teria forte impacto econômico e social, tanto na fase de realização das obras quanto durante sua operacionalização. Na última quinta-feira, 17/11, o governador Flávio Dino já havia debatido o assunto com o diretor-geral de Navegação, Almirante Paulo Cezar de Quadros Küster.

A estrutura a ser montada implicará na transferência para o estado de pelo menos 6 mil militares. Considerando os familiares, no total, serão mais de 12 mil pessoas diretamente ligadas à base da nova esquadra. Além do Maranhão, disputam se tornar sede deste empreendimento militar os estados da Bahia e do Pará.

Segundo o governador, “é um projeto estratégico, importante para o Brasil. Já há uma definição técnica nesse sentido. É claro que sabemos que a crise econômica brasileira adiou uma série de projetos, infelizmente, mas nós continuamos tratando dos passos concretos para chegarmos até lá”, destacou.

Ainda de acordo com Flávio Dino, o Governo, especificamente, dos passos necessários para a implantação da esquadra, “e foi muito importante a definição do comandante no sentido de, progressivamente, haver uma ampliação da presença da Marinha no Maranhão, em razão da importância econômica, da movimentação portuária, da segurança da navegação e pelas múltiplas funções que hoje o Maranhão exerce nesse setor”.

Governador Flávio Dino esteve reunido neste sábado com comandantes da Marinha do Brasil 

Para a Marinha, a escolha do local de instalação é técnica e leva em conta a estrutura portuária, as condições de navegabilidade na Baía de São Marcos, a grande variação de marés e as características do litoral – reentrâncias e profundidade do canal marítimo. Todos esses parâmetros foram considerados favoráveis para operar embarcações 24 horas por dia, como exige o projeto da Força Naval.

“E esses passos todos vão se encadeando exatamente no objetivo final que é o investimento de cerca de R$ 3 bilhões quando eles finalmente se concretizarem. Uma visita muito produtiva, portanto, e que se insere nessa visão estratégica da busca de parceiros para o desenvolvimento do Maranhão”, enfatizou Flávio Dino a respeito da instalação da Segunda Esquadra no estado.

O Almirante Leal Ferreira enfatizou essas potencialidades do Maranhão durante a reunião com o governador e enalteceu o interesse da Marinha de crescer a sua presença no estado. “É uma área que estrategicamente tem muitas condições favoráveis a uma instalação futura quando a gente tiver condições de uma base naval aqui. O plano maior, em longo prazo, seria a Segunda Esquadra”, pontuou o comandante, que enfatizou a vocação exportadora e a presença já existente da Marinha no estado.

“Acho que foi uma conversa muito agradável, o governador deu bastante apoio à Marinha. É um amigo que a Marinha tem na região. E por isso eu estou voltando para Brasília muito satisfeito e certo de que a Marinha estará cada vez mais presente no estado do Maranhão”, finalizou o Almirante Leal Ferreira.

Fonte: MH (Com dados da Secap e fotos de Handson Chagas)

DEIXE UMA RESPOSTA