É um trocadilho, porém uma merecedora apreensão feita pela AGED/Balsas, que no Dia Mundial da Voz, nesta terça-feira, 16/04, não se calou diante de um carregamento de mudas de várias plantas do cerrado e mais especificamente de citros, ilegalmente, fizeram a fiscalização falar mais alto.

Em rotina de fiscalização na BR 230 a AGED de Balsas apreendeu mais de 500 mudas de plantas frutíferas. As notas fiscais apresentadas tinham como destinatário um posto de combustível na cidade de Estreito/MA, mas os fiscais, desconfiados, ligaram para o responsável que garantiu que nunca comprou ou autorizou emissão de nota fiscal de mudas de plantas no nome da empresa.

As mudas vinham da cidade de Dom Eusébio/MG e foram parar no lixão de Balsas, onde foram destruídas. Foi lavrado auto de infração contra os responsáveis das cargas. O chefe da AGED/Balsas, Eugênio Pires disse que “como no Maranhão é proibido o comércio ambulante de mudas e nós estamos numa região produtora de grãos, nós sabemos que aqui na região de Balsas nós temos aproximadamente 650 mil hectares de lavoura de soja e nós não sabemos quais as doenças ou pragas que esse caminhão pode estar trazendo do estado de Minas Gerais para o Maranhão, por isso que agora a carga vai ser total aumente destruída”.

Para o agente “são inúmeras doenças que não existem aqui no Maranhão: pode ser o moco da bananeira, pinta preta nos citrus, várias doenças, além de pragas. Pode estar trazendo insetos aí dentro, que aqui na nossa região não tem. O Maranhão é o estado livre de várias doenças transmitidas pela laranja, limão principalmente, mas tem outros, como a jabuticaba. Tem várias outras aqui na nota fiscal. Ela consta como se estivesse transportando aí 210 mudas mas nós sabemos que tem muito mais não caminhão. E transporta muito mais pragas e doenças que não são encontradas em nosso estado por isso é importante a fiscalização e a destruição”. Completa Eugênio.

 

DEIXE UMA RESPOSTA