Com o tema: “Um Olhar para Dentro dos Muros” é que a direção e todo a equipe da Penitenciária de Balsas/MA comemora a semana do encarcerado.

A Semana do Encarcerado ficou marcado com um curso de cabeleireiros e uma nova biblioteca, além de sala especial para orações e encontros para terapias, já que a penitenciária possui em seu quadro funcional uma equipe multidisciplinar, composta por 01 psicólogo, 01 assistente social, 01 terapeuta ocupacional e 01 pedagoga, como conta Maria do Socorro, assistente social da Unidade Prisional, onde as mudanças são muito significativas:

Além do governo do estado, que propicia funcionários que dão melhor assistência aos internos, empresas voluntárias locais também colaboram para que os eles tenham mais conscientização da ressocialização, como afirma Maria do Carmo, diretora administrativa da Unidade:

Todos esperam um dia olhar além dos muros que os isolam do mundo de cá, mas também hão outros que estão se preparando para a hora da chamada mais esperada. Para isso, a preparação para a ressocialização já é algo concreto para que os deixem mais esperançosos e menos angustiados.

Benetinho (advogado), José Francisco (juízda 4ª Vara), Ailena Cristina de Matos (Seap), Major Willys Pablo (Corpo de Bombeiros), Aline Coelho (Senac) e Maria do Carmo (diretora administrativa Penitenciária).

Na manhã desta quarta-feira, para muitos detentos o sol brilhou e coloriu os olhares como um bote visto por um náufrago. A presença do juíz da 4ª Vara de Balsas José Francisco, que se propôs a desafogar os processos encalhados, o comandante do 4º Batalhão de Bombeiros Major Willys Pablo, a gerente do Senac/Balsas Aline Coelho, o advogado Benetinho e a representante da SEAP Ailena Cristina de Matos, trouxe mais esperanças para aqueles que não querem viver na ociosidade dos presídios, aguardando a noite e o dia entre quatro paredes, ou um fim de semana para ver seus entes queridos, que do lado de fora suspiram a liberdade de pais ou filhos.

Simoneide Pereira da Silva é uma das internas há 07 anos por homicídio. Para ela “é uma boa oportunidade que conta com a saída complementada por uma profissão.”. O curso para cabeleireiras fornecido pelo Senac, para ela, será mais uma porta se abrindo, já que, além de diminuição de pena pelo comportamento, também há a questão de terapia e alegria de poder contar com algo mais para sustentar sua vida assim que sair do presídio.

Mercedes entrou para o presídio há 09 meses, por influenciar adolescentes à bebida e à prostituição. Mas disse que estes cursos lhes dão mais paz durante o cumprimento da pena e a esperança de quando sair da prisão, não ficar à mercê das maldades do “mundo lá fora”.

Antonio Luis Ferreira, preso desde 2014 por homicídio, diz que, como já tem uma certa prática como cabeleireiro pretende fazer capacitação, mas diz que deverá ajudar seu pai na fazenda em Nova Colinas e “tocar a vida como pessoa comum. O que fiz passou. Me arrependi, mas estava sob efeito do álcool.”

Lina Coelho, gerente do Senac, fala que a parceria pretende profissionalizar as mulher internas e encaminhá-las para o mercado, assim que saírem do presídio. “Pois, além de darmos uma profissão também fazemos o trabalho de ressocialização”.

O diretor responsável pela segurança da Unidade Prisional Lucifran mostrou-se humildemente lisonjeado e agradeceu a presença das autoridades e também dos parceiros.

1 Comentário

  1. E importante corrigir que o sistema prisional conta com uma equipe MULTIDISCIPLINAR. Composta por 1 psicólogo, 1 assistente social, 1 terapeuta ocupacional e 1 pedagoga.
    E não psicólogoS e assistente social.

DEIXE UMA RESPOSTA