Reprodução Internet
A Associação Brasileira dos Produtores de Soja do Estado do Piauí, com base em estudos e pesquisas científicas, apresenta na próxima segunda-feira (16)  de setembro, o estudo com a análise territorial do Cadastro Ambiental Rural (CAR) do Piauí.  O estudo trás o tamanho a e localização por microrregião e por município das áreas destinadas à preservação da vegetação nativa no Estado e foi realizado pelo Grupo de Inteligência Territorial Estratégica (GITE) da Embrapa Territorial e será apresentado pelo pesquisador Dr. Gustavo Spadotti (Embrapa Territorial, Campinas-SP).
Nacionalmente pesquisas da Embrapa Territorial apontam que 30% da área da região produtora de soja Matopiba (Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia) é destinada a preservação da vegetação nativa. Os dados referentes a essa preservação no Piauí serão conhecidos detalhadamente no evento que pretende reunir, além dos produtores, os investidores, representantes da sociedade civil organizada entre outros.  “Independente do território analisado, em média, os agricultores do estado do Piauí vêm contribuindo de forma efetiva para a preservação da vegetação nativa do estado e do País”, afirma Gustavo Spadotti.
Segundo Rafael Maschio, da Aprosoja,  um dos principais objetivos do estudo é exatamente apontar com pesquisa, com dados, que o agronegócio é a parte mais interessada em realizar o desenvolvimento sustentável. “Hoje trabalhamos com tecnologia de ponta, que alia o desenvolvimento da agricultura a sustentabilidade ambiental e os agricultores são a parte mais prejudicada quando a legislação ambiental não é respeitada. Temos muita desinformação e isso prejudica e estamos com este estudo exatamente querendo apresentar à sociedade dados corretos, informação precisa”, afirma.

DEIXE UMA RESPOSTA