O empresário Edilson Baldez, que preside a Federação das Indústrias (Fiema), participou dia 07/09, em New York, de encontro na Câmara Brasileira Americana de Comércio nos Estados Unidos, oportunidade em que apresentou para empresários norte-americanos oportunidades de negócios no Maranhão.

A apresentação fez parte de uma Missão Empresarial promovida pelo Pró-Amazônia, associação que congrega as Federações da Indústria da Amazônia Legal (Amapá, Amazonas, Acre, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins), e busca a inserção internacional da Amazônia como estratégia indutora de desenvolvimento sustentável da região.

Segundo Baldez, o Maranhão reúne todas as condições de um espaço estratégico para investimentos, seja pela disponibilidade de seus recursos naturais, seja pela infraestrutura física e econômica ou por sua maior proximidade aos grandes mercados internacionais.

“Com um portfólio de investimentos, em andamento, calculado em R$ 85 bilhões e oriundo de grandes grupos nacionais e estrangeiros, o Maranhão tem-se tornado muito atrativo em diversas áreas econômicas, como aciaria, cimento, ouro, agronegócio (principalmente cana de açúcar, milho e soja), pecuária (carne, leite e seus derivados), geração de energia (biomassa, hidrelétrica, térmica, eólica e solar), papel e celulose e construção civil, entre outras”, destacou o presidente.

As condições naturais do Maranhão, com uma localização geográfica privilegiada, a vastidão e qualidade de suas terras agricultáveis, as inúmeras bacias hidrográficas, a infraestrutura do complexo portuário integrado a um sistema multimodal de transporte e logística de interesse macrorregional (Centro-Norte), a grande oferta de energia, além do fato de ser o Maranhão a quarta economia do Nordeste e 17ª maior do Brasil foram alguns dos pontos fortes citados por Baldez, aos empresários estadiunidenses e que podem viabilizar grandes empreendimentos econômicos e ampliar e diversificar a pauta de exportações maranhenses e brasileiras.

O empresário maranhense citou empresas americanas e canadenses que já são, atualmente, parceiras na construção do desenvolvimento do estado do Maranhão, como Cargill, Alcoa, Alcan, Bünge, Cova-Cola, Quercegen, Aurizonia Gold, Origine, que investem expressivamente nos segmentos do agronegócio e de metalurgia e mineração.
Nos próximos dias, Baldez juntamente com os demais presidentes das Federações dos Estados da Pró-Amazônia viajam para o Canadá, também com o objetivo de promover oportunidades de investimentos e intercâmbio comercial.

DEIXE UMA RESPOSTA