Carlos César Aquino dos Santos, vulgo Nego Léo, maranhense, 45 anos, foi preso dia 18/08 por policiais militares do destacamento de Barroquinha/CE que receberam denúncias de populares via 190, informando que no bairro Cohab, tinha um indivíduo vendendo um veículo Fiat Estrada de cor branca, ano 2013 e placas OMP 0260-Brasilia/DF, por um preço bem a baixo da tabela, de modo que levantou a suspeita das pessoas.

Os policiais militares checaram a informação e localizaram o indivíduo, o qual mentiu sobre sua identificação. O veículo foi checado e os PM’s descobriram que se tratava de um veículo roubado. O suspeito foi localizado e recebeu voz de prisão sendo conduzido para a DPC em Chaval, onde foi autuado em flagrante no artigo 180 do CPB.

Para o delegado da 11ª Regional de Balsas, Dr. Fagno Vieira sua equipe de investigação chegou ao nome do suspeito de autoria do assassino de Antônio Geopar Mariano através de informações que o senhor Antônio Geopar Mariano, teria hospedado um amigo de nome Pedro que ele conhecia de algum tempo e que este ficaria até quarta-feira na casa. Na terça-feira a vítima foi encontrada morto; seu o veículo e alguns pertences teriam desaparecido e o hóspede teria também desaparecido e seria um suspeito. Começou-se a investigar e chegaram ao Carlos César Aquino dos Santos, mais conhecido como “Nego Léo”, que respondia por processo em que havia sido preso em 2011 por furto de uma camionete.

carro da vitima de latrocinioBloqueio do veículo da vitima

“Nós bloqueamos o veículo Fiat Estrada de cor branca, ano 2013 aqui na regional de Balsas como roubado, na esperança que ele caísse em uma blitz ou que tentasse vender o mesmo e graças a divulgação da imprensa de Balsas deu é que o Nego Leo foi reconhecido através de fotos divulgadas pela imprensa em geral que foi o que facilitou a identificação desse elemento no Ceará.”

O delegado afirmou ainda que irá tratar do recambiamento dele para a cidade de Rosário de onde ele é fugitivo, interrogar sobre o crime de assassinato do Geopar e determinar o traslado do veículo para Balsas para que seja concluído o inquérito policial e encaminhá-lo para o judiciário o pedido de prisão preventiva por se tratar de um elemento extremamente perigoso.

Com informações do Diário de Balsas/11ª Delegacia Regional de Balsas

DEIXE UMA RESPOSTA