Nesta época de muitas chuvas e cheias nos rios maranhenses, a felicidade também deságua em águas escuras de lama e “cisco” – troncos e folha da natureza -, misturados ao lixo humano, em sua motonáuticas equipadas de mãos carinhosas, que bravamente vão retirando do leito restos de produtos industrializados jogados às margens ou trazidos pelas enxurradas dos centros urbanos.

A 2ª Expedição Náutica Ecológico & Social, realizada no dia 10 de fevereiro de 2018, liderada pelo empresário Miranda Neto e demais amigos da Náutica de Balsas, partiu de Balsas até a barragem de Boa Esperança, em Guadalupe/PI, cumprindo mais uma missão. Com o objetivo de despertar nas populações das cidades ribeirinhas para a preservação do Rio Balsas e do Rio Parnaíba. Durante 03 dias, a equipe percorreu mais de 400 km de água, em pura adrenalina.

Para o organizador da expedição náutica, Miranda Neto, existem dos fatores diferentes neste passeio, que não devem ser confundidos aos olhos de quem vê ou ouve falar do evento: “um é a ideologia de resgatar a responsabilidade social perante os rios e afluentes, quando alertamos para a preservação e os devidos cuidados para com a natureza, pois dependemos dela para viver. Outro fator é divertir sem degradar o meio ambiente, levando lixeiras dentro dos barcos e navegando mais pelo meio do rio, em vez de ir pelas margens.”.

A conscientização dos banhistas e dos ribeirinhos são alertadas diante de palestras ou conversas, em paradas para um lanche ou quando avista-se uma oportunidade de contatos com os moradores nas proximidades dos rios.

Assim, os compromissos das Expedições Náuticas, que anualmente são feitas com entusiasmo, passam de uma aventureira diversão para uma lição de que, quem cuida do meio ambiente sempre tem espaço, desde que respeitados os limites entre homem e natureza e que são compartilhados entre a equipe participante e àqueles que apreciam a natureza com bons olhos e não com coração apenas esportista.

DEIXE UMA RESPOSTA