O anúncio do contrato celebrado, sexta-feira (05), entre a chinesa CBSteel e o governo brasileiro para construção de uma usina siderúrgica no município de Bacabeira, foi recebido com euforia pela classe empresarial maranhense, em especial pelo setor mineral. Para o presidente do Sindicato da Indústria de Ferro-Gusa do Maranhão (Sifema), Cláudio Azevedo, o empreendimento pode recuperar o setor, que está com a maioria de suas empresas paralisada há mais de cinco anos.

Cláudio Azevedo anunciou que já dia 05/09, os dirigentes do sindicato e das empresas de ferro devem se reunir com o senador Roberto Rocha (PSB) para que ele agende uma audiência com o presidente Michel Temer (PMDB) a fim de serem apresentadas sugestões que possam revitalizar as indústrias de ferro-gusa. Uma das propostas seria a de ser dada prioridade ao ferro beneficiado no Maranhão para servir de matéria prima na produção do aço. “O senador Roberto Rocha pode ser o elo com o governo federal para esta aproximação”, acrescenta.

O presidente do Sifema lembra que das sete guserias existentes no estado, quatro estão desativadas: Fergumar e Simasa, em Açailândia; Cosima, em Pindaré-Mirim; e Margusa, em Bacabeira. As outras três – Viena, Pindaré e Gusa Nordeste – estão operando parcialmente. “Com o surgimento de um comprador de grande potencial, todos os fornos dessas indústrias poderão ser reativados, os empregos recuperados e haverá mais dinheiro circulando no estado”, comemora.

Quem também manifesta otimismo é o presidente da Federação das Associações Empresariais do Maranhão (Faem), Domingos Júnior, para quem a vinda desse empreendimento vai dar sobrevida aos comerciantes de Bacabeira e municípios vizinhos, sem falar nos impactos nos setores de hotelaria, transporte, gastronomia e até imobiliário, inclusive da capital. Domingos Júnior diz que esta é a oportunidade de quem investiu apostando na refinaria recupere seus negócios.

Contrato – Dia 05/09, após reuniões com prováveis parceiros comerciais chineses, o presidente Michel Temer assinou contrato com o grupo chinês CBSteel com o intuito de investir mais de US$ 3 bilhões na construção de uma siderúrgica no em Bacabeira. A primeira fase de operação do empreendimento, ainda sem data anunciada para início, deverá somar uma produção de três milhões de toneladas de aço, e as perspectivas em torno do projeto apontam para a geração de até 5 mil empregos.

O acordo é fruto de um namoro de longa data da empresa chinesa com o Maranhão, sendo que os executivos do grupo já visitaram o estado três vezes recentemente, tendo se reunido com o governador do estado, Flavio Dino, na última vinda, em março deste ano.

Outros acordos fechados até agora na visita de Temer à China incluem a ratificação da proposta da State Grid por 23% de participação na CPFL Energia (por cerca de US$ 1,83 bilhão), controlada pela Camargo Corrêa; e um acordo entre a China Communication and Construction Company Internacional (CCCC) e o grupo WPR, para investimento de R$ 1,5 bilhão em um terminal multicargas de uso privado em São Luís, também no Maranhão.

Fonte: Sifema

DEIXE UMA RESPOSTA