Sistema permite capacitações simultâneas e personalizadas em ambiente imersivo e seguro



Com o objetivo de capacitar colaboradores de forma inovadora, rápida e ágil, a SLC Agrícola implementou um novo sistema de treinamentos utilizando realidade virtual. As equipes de Mecanização e Tecnologia da Informação foram as primeiras a conhecer a tecnologia, que reproduz o processo de inspeção em colheitadeira de grãos. A iniciativa do projeto de capacitação via realidade virtual foi desenvolvida pela área de Recursos Humanos da empresa.

O treinamento é realizado com a utilização de óculos especiais, que conectam o usuário a um cenário que reproduz as tarefas diárias de inspeção. Desta forma, o colaborador consegue selecionar os equipamentos de proteção necessários e interagir com cada parte da colheitadeira, coletando amostras, abrindo e fechando painéis, verificando dispositivos abaixo das rodas e inclusive manejando alavancas. A cada passo, se preenche um checklist com os itens corretos e incorretos, avaliados online pelo coordenador regional, que definiu previamente o que precisa ser testado nas sucessivas etapas.

Somente após o treinamento virtual será feita a capacitação com colheitadeiras reais, o que, na visão da empresa, gera uma equipe mais assertiva e preparada no controle das atividades, além de de aumentar o engajamento com as novas tecnologias e com a evolução da agricultura digital.

A inovação oferece mais do que o treino em ambiente seguro: com a ferramenta, se fazem possíveis capacitações simultâneas, acompanhamento de desempenho e evolução nas habilidades de cada colaborador. De acordo com Luciano Bizzi, gerente de Mecanização da SLC Agrícola, a empresa inaugurou uma nova fase, permitindo que o conhecimento chegue mais rapidamente à linha de frente das operações: “O sistema facilita a prática do dia a dia e também o acesso à capacitação, que era dificultado pela distância. Agora poderemos capacitar em locais diferentes ao mesmo tempo, alinhando o processo a uma nova geração que aprende tudo com computador e celular”, afirmou.

O próximo passo será disseminar o projeto nas unidades da empresa e avançar para outras linhas de treinamento, que contemplem, por exemplo, o manejo da colheitadeira e incluam o mercado de algodão. Além disto, a área de Recursos Humanos já está planejando novos investimentos na capacitação.

 

Por Andréia Odriozola/AgroEffective

DEIXE UMA RESPOSTA