No Complexo Poço Azul, em Riachão, mais imersão nas águas cristalinas da Chapada das Mesas e experiências gastronômicas da culinária local.

Montanhas e formações rochosas curiosas de 60 milhões de anos, cachoeiras com mais de 70 metros de altura, abundância de riachos e lagos de águas cristalinas integrados em três diferentes biomas – cerrado, caatinga e floresta amazônica. Um cenário espetacular se descortinou na última semana diante dos olhos do grupo que aceitou o
convite do Sebrae estadual para participar da missão técnica realizada ao Polo Chapada das Mesas, reunindo, nos dias 13 e 14, empresários do trade de São Luís, Barreirinhas, Imperatriz e Carolina, jornalistas e representantes do poder público, de entidades empresarias e da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

O objetivo foi favorecer vivências aos atrativos do território,
localizado no centro-sul do Maranhão, assim como conhecimento dos seus principais equipamentos turísticos, como o Complexo de Pedra Caída, no município de Carolina e o Complexo Poço Azul, em Riachão. Além disso, a ação proporcionou que o grupo percebesse a potencialidade
regional para o turismo de aventura, favorecendo o pensar conjunto de melhorias que podem ser viabilizadas tanto por políticas públicas mais assertivas, quanto por uma infraestrutura mais adequada, aliada a estratégias de promoção do destino e comercialização de pacotes,
advindos da parceria entre empresas locais do trade e agentes emissivos de outros polos do estado.

“O principal ganho dessas visitas técnicas, acredito, é a integração dos agentes que estão inseridos na cadeia do turismo do Maranhão. É apenas com a união de todos que poderemos dar andamento às ações de desenvolvimento desse setor no nosso estado, favorecendo essa importante
indústria mundial que gera oportunidades de negócios e empregos, além de renda para as comunidades inseridas no processo, fortalecendo assim economias de municípios, estados e países”, destacou o presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae, Edilson Baldez das Neves, que também preside a Federação das Indústrias do Maranhão (Fiema).

Capitaneada pelo próprio Baldez e organizada pela Unidade de Turismo, Cultura e Eventos do Sebrae estadual (UTCEV) e apoio da Unidade Regional do Sebrae em Balsas, a missão contou com a presença de sete conselheiros da instituição, representando entidades empresariais e
instituições financeiras como a Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Maranhão (FCDL), Federação das Associações Comerciais do Maranhão (FAEM), Federação do Comércio do Estado do Maranhão (Fecomércio), Centro de Apoio aos Pequenos Empreendimentos (Ceape), Serviço nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), além da
Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema).

“Foi com muita satisfação que aceitei ao convite do Sebrae para integrar esta missão técnica que teve o objetivo de apoiar o desenvolvimento desta região que tem atrativos naturais belíssimos. Há algum tempo o Sebrae já atua aqui na Chapada das Mesas, ajudando a fortalecer a governança local e, agora, está arregimentando mais parceiros para que, juntos, possamos promover e melhorar o turismo no nosso estado”, apontou o conselheiro pela Fecomércio, Maurício Aragão Feijó.

A missão técnica integra uma das diretrizes do Sebrae para 2018, que traz o turismo como uma de suas prioridades, apoiando, em um primeiro momento, o desenvolvimento e fortalecimento dos pequenos negócios do setor nos três principais polos turísticos maranhenses – São Luís, Lençóis Maranhenses e Chapada das Mesas.

TRADE E UNIVERSIDADE

Dentre o trade, estiveram presentes representantes da Associação Brasileira de Agentes de Viagens do Maranhão (ABAV-MA), Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH-MA), Sindicato Empresarial de Hospedagem e Alimentação do Maranhão (SEHAMA), Conselho das Entidades de Turismo junto à Confederação Nacional de Turismo (ConCntur), Associação Brasileira dos Jornalistas de Turismo seccional Maranhão (Abrajet-MA), Conselho Municipal de Turismo de São Luís, Barreirinhas e Carolina, além do poder público, representado pela Secretaria
Municipal de Turismo de São Luís e da Superintendência Regional de Cultura e Turismo da Região Metropolitana de Imperatriz e Polo Chapada das Mesas.

Para a secretária de Turismo de São Luís, Socorro Araújo, o grupo não teve apenas “a oportunidade de apreciar as belezas e grandeza de Deus, através da natureza que aflora na Chapada das Mesas, mas agregar mais valor à comercialização do polo, com essa imersão de conhecimento ao produto turismo sul do Maranhão”.

Já Lílian Diniz, da recém criada Superintendência de Cultura e Turismo da Região Metropolitana de Imperatriz e Polo Chapada das Mesas, ligada à SECTUR, “essa integração entre o trade dos demais polos e representantes do Conselho Deliberativo do Sebrae é de essencial importância para agregar valor e possíveis parcerias às ações de
desenvolvimento do turismo do Governo do Estado na regional, formada por uma área que integra 30 municípios”.

Já a Academia, representada na missão técnica pela UFMA, destacou o momento de aprendizado e reflexão sobre o que cada parceiro poderá contribuir no desenvolvimento do Polo Chapada das Mesas. “A partir de uma ação dessa, ficamos cada vez mais responsáveis em trabalharmos juntos sobretudo no que fiz respeito a potencializar o que a Chapada das Mesas tem a ofertar aos visitantes. Essa iniciativa do Sebrae reforça as alianças que a Universidade e as empresas maranhenses têm com a promoção do turismo no estado”, sinalizou a coordenadora do Departamento de Turismo e Hotelaria da Ufma, professora Mônica Araújo.

PARQUE NACIONAL CHAPADA DAS MESASS

O território onde está localizada o Polo Chapada das Mesa é
catalogado desde 2005 como Parque Nacional, uma área de proteção ambiental que abrange 160.046 hectares formado por cerrado, caatinga e floresta amazônica nos municípios de Imperatriz, Porto Franco, Estreito, Carolina, Riachão, Balsas, Tasso Fragoso, localizados no centro-sul do Maranhão, além do município tocantino de São João do
Paraíso.

Nesta região de extrema exuberância, montanhas, cachoeiras, rios e lagos saltam aos nossos olhos e proporcionam uma experiência ímpar para quem se proporciona visitar os atrativos.

A criação do parque fez parte do esforço dos órgãos ambientais do Governo Federal para elevar a área protegida no Cerrado. Pouco mais de 2,5% do bioma está resguardado em unidades de conservação federais e
estaduais que lutam contra novos desmatamentos impulsionados por carvoarias e abertura de novas frentes para a agropecuária.

A região que agora está abrigada dentro do Parque Nacional é extremamente rica em espécies da fauna e flora, além do alto potencial turístico em decorrência das belezas naturais da Chapada das Mesas, com valor ecológico, social, econômico e cultural.

 

Por Ângela Barros/Sebrae-Balsas

VEJA MAIS FOTOS:

Missão iniciou no Complexo de Pedra Caída, onde os participantes conheceram a infraestrutura do resort e desfrutaram dos atrativos, como banho na cachoeira do Santuário, teleférico, tirolesa e pirâmide de vidro.

 

DEIXE UMA RESPOSTA