ONDE A REDAÇÃO INDICAVA QUE O ENGENHEIRO DO PROJETO DE REFORMA DA CATEDRAL ERA DO ENGº CELSO HENRIQUE, DE BALSAS/MA, EM SUA PRIMEIRA PUBLICAÇÃO DO DIA 05 DE MARÇO, LEIA-SE ENGº E ARQUITETO KAUSS HERMANN PIPER, DO PARANÁ, CREA: 14597-D/PR CAU A 89 282 3 PR

Com a presença de mais de cem pessoas, o evento marcado com a comunidade católica para questionar, discutir e encontrar meios para arrecadar fundos que viabilizem a reconstrução da Catedral de Balsas/MA, aconteceu com muito otimismo, por parte dos empresários e representantes, que deram opiniões e garantiram soluções para o objetivo da reunião.

Após apresentação e dinâmica, para despertar o senso comum, pe. José Alberto comentou um breve histórico da vinda dos padres combonianos para a região, a construção da grande obra de Deus e a luta de Dom Franco para reformar a mesma.

Com o tema: “VAI E RECONSTRÓI A MINHA IGREJA”, a diocese de Balsas, com a participação dos Pe. José Alberto, Pe. Genivaldo Ribeiro e demais religiosos e leigos, oficializaram a noite de sexta-feira, 03/03, como uma partida para a busca de recursos, financeiros e materiais, para que se inicie a reconstrução.

Pe. José Alberto comentou ainda, das rachaduras, da antiga armação que sustenta o enorme teto de telhas Brasilit e da modernização que poderá dar à casa do Pai. Toda esta reforma não irá abandonar a memorável pintura de Pe. Alfredo Bellini, foi uma das principais observações feitas pelo pároco da diocese de Balsas.

Além disso, uma praça moderna, arborizada mas bem iluminada, com estacionamento mais organizado para automóveis e bicicletas (veja vídeo do projeto).

Após a apresentação do vídeo oficial do projeto, o Engº Celso Henrique, hoje secretário da Infraestrutura, que em 2014 orçou a obra em R$ 1.510 (Hum milhão e quinhentos e dez mil reais), valor este , acredita ele, somente para a reconstrução do prédio, que se encontra em situação precária, e corre sérios riscos de provocar algum prejuízo, e que nos valores de hoje, o mesmo projeto estaria na casa dos R$ 1.950 (Hum milhão, novecentos e cinquenta mil reais).

Celso Henrique, assinalou ainda, que a praça, feita nos moldes do projeto, teria total participação do governo municipal.

CONFIRA VÍDEO DO PROJETO, DE AUTORIA DO ENGº E ARQUITETO Klaus Hermann Piper, DO PARANÁ, CREA: 14597-D/PR CAU A 89 282 3 PR

Além de vizinho da grande obra, o sr. Ademar Castro, proprietário da empresa Projetisa, mostrou seu foco para a reforma da Catedral, começando pela criação de um grupo Amigos da Catedral de Balsas, mas também lembrou da Lei Rouanet, que dá abertura para este tipo de projeto, já que, para ele, a igreja é um monumento cultural. Para isso, o projeto deve ser encaminhado para o Ministério da Cultura: a Lei Rouanet foi sancionada em 1991, a Lei 8.313 e instituiu o Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), que estabelece as normativas de como o Governo Federal deve disponibilizar recursos para fomentar a cultura no Brasil. Para cumprir este objetivo, um dos mecanismos criados foi o “Incentivo a projetos culturais”, também chamado de “Incentivo fiscal”.

As opiniões foram fluindo e convergindo cada vez que os participantes do encontro usavam a palavra. Com isso, um compêndio foi ficando mais concreto com a variedade de ideias socorristas e equipes formadas para dar largada em busca de mais participação.

O empresário, dono do supermercado Ponto Max, Paulo Rodrigues Mateus deu sua lista de participação, criando grupos, rifas, bingos e muitas outras ideias que ali foram sendo planejadas, juntamente com sua esposa dona Silvana Mateus e Iracema da Casa do Fazendeiro.

Entre muitos opinantes, O engº Claudionor emprestou sua ideia de rifarem um carro de alto valor. O empresário agrícola Isaías Soldatelli, da Aprosoja/MA, ressaltou que poderá conversar com os agricultores da região, para que algo seja feito para a conversão de valores para a reforma da Catedral, já que moram com familiares no município e a maioria católicos, podem contribuir muito para a cultura e para a religião.

O odontologista Raimundinho Silva, da empresa Odonto Riso, filho de dona Maria Alice  A. Silva, fez sua explanação diante do apego de sua mãe à igreja, nos tempos em que foi ministra e prontificou-se a dar sua mão, já que hoje atua no mercado nacional como “COACH”: área de desenvolvimento pessoal e profissional, e que poderá fazer várias sessões com fundo revertido para esta causa.

Por fim, as senhoras do grupo católico Terço da Misericórdia, apresentaram sua forma de contribuir para a arrecadação de financeiro para a reforma da Catedral. Com anéis de ouro, elas pretendem rifar um alto custo para angariar fundos e assim fazerem sua parte.

CONFIRA FOTOS:

DEIXE UMA RESPOSTA