FOTOS: JULIMAR QUEIROZ

Nesta época a área urbana do rio Balsas vira o melhor balneário para descontração, curtição e descanso do dia a dia, além de dosagem turística para aqueles que não costumam se aproximar do rio em outras épocas. Agora é mês de férias escolares, de festas e de encontros, inclusive na Beira Rio ou sobre boias, caiaques ou jet ski, nas divertidas descidas dos balneários Canaã ou Santa Luzia.

O fim de semana que passou, domingo dia 09/07, a equipe da nova gestão cruzou a ponte da Amizade e a ponte de madeira, abrindo o Festival Verão Balsas, vistoriando toda a organização que envolveu vários departamentos como as secretarias de Cultura, Infraestrutura e de Segurança, Limpeza e Comunicação.

Com o gerenciamento de limpeza e conservação da Beira Rio ter iniciado bem antes do período veraneio, muitos bares e restaurantes foram reformados para dar suporte ao público que procura um lugar para descontração, dia e noite. Com isso, até o antigo Bar Caraíbas foi reconstruído juntamente com a estrutura em sua envolta.

No palco, dando intenções de boas vindas ao Verão Balsas, o prefeito dr. Erik Silva deixou claro que deseja o melhor veraneio a todos e anunciou que “teremos atrações culturais, praça de alimentação, vendedores ambulantes, bem organizado, palco com som, iluminação e muitas atrações, para que a população balsense, os turistas que para cá venham tenham a oportunidade de curtir o rio Balsas, que é nossa maior riqueza natural”.

Mesmo acompanhando os banhistas, o Corpo de Bombeiros alerta para os navegantes sobre o perigo de afogamento, principalmente se tiverem ingerido bebidas alcoólicas. Enquanto isso, a Marinha acompanha o movimento dos barcos e jet ski, que devem dar trégua neste período ou pelo menos evitar a orla de maior concentração de pessoas que adentro no leito do rio.

Pelo alto índice de criminalidade em Balsas, a prefeitura resolveu envolver toda a segurança para a paz dos banhistas e turistas. Do lado de fora, a Polícia Militar e os Guardas municipais dão proteção e tentam não conciliar a aproximação dos meliantes com os banhistas, pois além de evirar roubos evita também transtornos indesejados como brigas.

A limpeza frequente nas margens do rio se dá bem antes do início do Verão Balsas, porém continuam com equipes de margaridas e garis. Nem precisava se o balsense se reeducasse levando no peito o lema de “cidade limpa, povo educado”, como acontece em muitos centros turísticos, onde as lixeiras públicas significam lugar de colocar a sujeira como também reflete a boa recepção, com atos civilizados, como “bom dia…”, “com licença”, “obrigado”, “seja bem vindo” etc.

Quando o Verão Balsas encerrar, a melhor impressão é a que fica, mas também é a que vai no coração de quem veio à procura de paz e divertimento. O rio também agradecerá se o lixo não tomar espaço da natureza em seu leito ou margens. O Verão Balsas é de ano em ano, mas as águas só diuturnamente vivas. Não deixemos que ele morra sufocado pelo sua distração.

 

DEIXE UMA RESPOSTA