Audiência forma comissão preliminar para criação do CVV em Balsas

    0
    489

    Setembro Amarelo encerrou nesta segunda-feira, 30/09, mas a procura de avanços e soluções para a diminuição do suicídio na região continua. Após a sessão ordinária de ontem, na Câmara de Vereadores de Balsas, uma audiência pública realizada pela Casa do Povo busca montar comissão para a criação do Centro de Valorização da Vida – CVV, no município de Balsas/MA.

    Com o plenário do Legislativo municipal lotado entre vereadores, autoridades eclesiais, judiciário, instituições ligadas à saúde, organizações não governamentais, além de representantes da saúde mental do município e profissionais da imprensa, a tribuna da Câmara se tornou o dispositivo de falas de apoio à tradicional modalidade brasileira de salvar vidas que pedem por socorro.

    Através do Requerimento 020, indicado pela vereadora Fransuíla Farias, pelo menos 11 pessoas deram seus nomes para formar o comitê preliminar, que terão compromisso de dar iniciativa e aprovação para a constituição do CVV para atender o município e a região sul do Maranhão, além de que deverão ter encontro com o Coordenador Nacional de Expansão do CVV João Régis da Silva, quando este vir a Balsas para dar palestras sobre a entidade.

    Para o Secretário de Saúde, Raylson Félix Barros, é uma ação de extrema importância, com ação pública, mostrando a união de todos no combate ao suicídio que acomete números tão alarmantes em Balsas, “então hoje estamos trazendo o que há de melhor no país em combate ao suicídio, o CVV que é o Centro de Valorização da Vida e esse é um momento que vai ficar como um marco na nossa história. A sociedade unida contra o suicídio em Balsas e região”. Raylson também afirmou, na tribuna da Câmara, que a prefeitura se compromete em fornecer desde o local, aparelhagem e móveis para que se concretize a ação do CVV.

    O diretor do CAPS – Centro de Atendimento Psicossocial, Fabrício Galvão, é a partir do CVV que o vai desenvolver estruturas e projetos em que vai ter onde escutar o paciente e “tudo começa com a escuta”. Para ele, na saúde mental são vários fatores “e quando nós sempre caracterizamos que são vários pilares como a escuta, a convivência e tem o medicamento, então, o Centro de Valorização da Vida tá vindo para revolucionar. Vai ter pessoas à disposição para te escutar, para te orientar, dizer qual caminho seguir e outra coisa importante, a qualquer horário. Muitas vezes uma escuta qualificada, uma escuta bem feita favorece muito o tratamento do paciente, ajuda muito a gente”. Ratifica Fabrício.

    O presidente da Câmara ressaltou como grande passo esta audiência, que para ele é um “marco importante a partir do ponto de vista de que nós estamos vivendo aí uma verdadeira epidemia de depressão. Muitos casos de suicídio consecutivos acontecendo na nossa cidade, no nosso país, de forma geral e nós não poderíamos deixar de dar nossa parcela de colaboração e fazer o nosso trabalho formiguinha como esta audiência pública, com a intenção maior de no dia 05 de novembro estar nos trazendo o João Régis que é o Coordenador Nacional do CVV e realizarmos essa implantação aqui na nossa cidade para atender toda a região”.

    Juíza da 1ª Vara da Comarca de Balsas/MA, Elaile Silva Carvalho afirma que o suicídio é uma realidade. “Primeiro é importante reconhecer essa realidade. Pelo que eu vi aqui só no mês de setembro tiveram 14 tentativas de suicídio na cidade de Balsas, quer dizer, é um número alto e a gente precisa falar sobre isso, não se pode esconder que isso acontece e pode passar pela cabeça de qualquer um que esteja perto da gente, mas isso precisa ser trabalhado”. Como diversas instituições religiosas estiveram questionando sobre seu apoio, Elaile também afirma que a religião é importante para aquelas pessoas que são religiosas, “mas existem outros atos que são importantes, como o esporte, a cultura, a arte, a família, a valorização da família, a amizade, mas é importante também que profissionais que são aptos para tratar de algumas pessoas que estejam passando por esses momentos depressivos, de tristeza profunda, que são os psicólogos e os psiquiatras”. A juíza conclui reforçando que “às vezes é necessário que a pessoa tome medicamentos para sair de uma depressão profunda. Isso é necessário”.

    Especialista de Saúde Mental do CAPS III de Balsas, Andréia Sandes, diz que a gente não pode pensar que é só serviço de saúde que vai resolver esse problema. Para ela, “toda e qualquer entidade que tenha um propósito de trazer um resultado, de ajudar a melhorar a qualidade de vida das pessoas e evitar de maneira efetiva que se chegue a esses números alarmantes ou diminuir esses números é bem-vindo. Toda entidade pode se ajustar ao serviço de saúde, na prevenção e no tratamento desse problema que está assolando a nossa cidade”.

    No Brasil, o Setembro Amarelo foi criado em 2015 pela CVV (Centro de Valorização a Vida), CFM (Conselho Federal de Medicina) e ABP (Associação Brasileira de Psiquiatria) com o objetivo de trazer mais visibilidade para o Dia Mundial da Prevenção do Suicídio (10 de setembro) através da cor amarela.

    “O CVV – Centro de Valorização da Vida realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo por telefone (188), email e chat 24 horas todos os dias”.

    O CVV é fomentado por voluntário que doa seu tempo e sua atenção para quem deseja conversar com outra pessoa de forma anônima, sigilosa e sem julgamentos ou críticas.

    Ele deve ter mais de 18 anos de idade, pelo menos quatro horas disponíveis por semana e vontade de ajudar pessoas, assim deve ser um plantonista do Programa de Apoio Emocional do CVV. Mas precisa participar de um curso gratuito de preparação de voluntários, em uma das sedes ou no ambiente virtual.

    O CVV

    O CVV — Centro de Valorização da Vida, fundado em São Paulo, em 1962, é uma associação civil sem fins lucrativos, filantrópica, reconhecida como de Utilidade Pública Federal, desde 1973. Presta serviço voluntário e gratuito de apoio emocional e prevenção do suicídio para todas as pessoas que querem e precisam conversar, sob total sigilo e anonimato.
    A instituição é associada ao Befrienders Worldwide, que congrega entidades congêneres de todo o mundo, e participou da força tarefa que elaborou a Política Nacional de Prevenção do Suicídio, do Ministério da Saúde, com quem mantém, desde 2015, um termo de cooperação para a implantação de uma linha gratuita nacional de prevenção do suicídio.

    DEIXE UMA RESPOSTA